13 novembro 2006

Um mês depois

F. Ponce de León

Este blogue foi ao ar pela primeira vez em 12/10, uma quinta-feira. Já lá se vai, portanto, um mês. Passou depressa. Tão depressa que eu até agora não havia comentado nada sobre as idéias em torno dessa iniciativa. Aproveito para esclarecer aqui algumas coisas sobre o Poesia contra a guerra.


O nome é ao mesmo tempo uma alusão e uma homenagem ao movimento Poets against the war. Desde o início, porém, o objetivo era não apenas reunir poemas contra a guerra, mas sim todo e qualquer material literário (“poesia”) que pudesse ser erguido ou evocado contra a estupidez, a feiúra e a insanidade das guerras – características que parecem acompanhar a história de nossa espécie desde o passado mais remoto. Nesse sentido, caberia aqui um pedido de desculpas a todos aqueles visitantes que vêm até aqui atrás apenas de “poemas sobre guerra”, “poemas de guerra” ou assemelhados.


Minha idéia inicial era publicar exclusivamente obras ou trechos de obras (artigos, letras de músicas, poemas etc.) a cuja versão impressa eu tivesse antes tido acesso direto. Esse critério restritivo não deixa de ser um modo de estimular a divulgação de livros, revistas e discos que ainda estão disponíveis no mercado – podendo assim, entre outras coisas, despertar o interesse por um material até então pouco ou nada conhecido, principalmente entre os jovens visitantes. Seria também o meu jeito de demonstrar respeito por obras ou trechos de obras cuja publicação neste blogue não foi previamente solicitada a seus respectivos autores.


Nessas primeiras cinco semanas, consegui manter um ritmo diário de atualização, com exceção apenas daquelas datas nas quais estive longe do computador (em razão de alguma viagem, por exemplo). O português tem sido até aqui o idioma predominante, embora obras ou trechos de obras em castelhano, inglês e francês já tenham também sido publicadas. Todo o material publicado continua disponível para consulta, podendo ser acessado através dos elos para os arquivos que estão estampados na primeira página, na coluna à esquerda.


Eis aqui uma relação dos autores que já apareceram no blogue (em ordem alfabética): Adélia Prado, Aldir Blanc, Allan Bloom,
Antoine de Saint-Exupéry, Ascânio Lopes, Bono, Carlos Drummond de Andrade, Carmen L. Oliveira, Chico Buarque, Dorival Caymmi, Elizabeth Bishop, Elomar, Ernest Mandel, Fernando Brant, Ferreira Gullar, Heinz Dieterich, Ian Anderson, J. D. Salinger, Jared Diamond, John Horgan, John Tyler Bonner, Luiz Ruffato, Manuel Bandeira, Márcio Borges, Miguel Hernández, Murilo Antunes, Noam Chomsky, Paulo César Pinheiro, Peter Gabriel, Roger Waters, Ronaldo Bastos, Teresa Parodi, Thiago de Mello, Victor Jara, Vinicius de Moraes, Vitor Ramil e Walter Freitas.


Além do autor destas mal-traçadas e de Andrew Wyeth, autor do quadro aí de baixo, com o qual aliás pretendo inaugurar um novo hábito neste blogue...

2 Comentários:

Anonymous Wedson disse...

O esforço e o trabalho esta velendo a pena. Parabens Felipe.

15/11/06 08:28  
Anonymous Anônimo disse...

A dor e o sangue em Bastogne (Héber Bensi)

Trincheiras, sangue, morte ,dor, terror sobre o frio...
Na Segunda Guerra a destruição por todos os lados,
Americanos resistindo ao certo Nazista;
Homens se matando como animais no frio Belga.

Pernas aqui, braços ali, cabeças no chão...
Não dava para saber o que era lixo, o que era gente;
Em meio a tanto terror embaixo dos céus.

Nazistas nervosos dispararam sobre tudo,
Americanos revidando tentavam força mostrar;
Meu Deus, o que houve em Bastogne naqueles tempos?

Meu Deus, por que deixou tantos corpos explodirem?

22/5/07 19:29  

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker