07 julho 2007

A dor

Lou Andreas-Salomé

Quem te pode escapar, se de ti prisioneiro
Pelo grave olhar que sobre ele lançaste?
Se a mim envolveres, eu não fugirei
Sabendo que nunca deixarás de destruir!

Sei que tens de visitar tudo o que há sobre a terra,
onde nada é imune à tua passagem:
E seria bela a vida sem ti.
Mesmo assim – também tu mereces ser vivida.

Fonte: Halévy, D. 1989 [1944]. Nietzsche: uma biografia. RJ, Campus. Clique aqui para ler sobre LAS.

1 Comentários:

Blogger leticia.drf disse...

Que lindo amei esta poesia... Fala tudo com poucas palavras

14/3/10 23:04  

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker