13 fevereiro 2008

Comigo me desavim

Sá de Miranda

Comigo me desavim,
No extremo som do perigo;
Não posso aturar comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia
Antes que esta assi crecesse;
Agora já fugiria
De mim se de mim pudesse.

Que meo espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Se trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?

Fonte: Figueiredo, C. 2004. 100 poemas essenciais da língua portuguesa. BH, Editora Leitura. Versão publicada em 1595; versão anterior algo diferente foi publicada em 1516.

4 Comentários:

Anonymous Kelly Christie disse...

Ao meu ver, a temática desse poema é o ser humano, portanto estaria proximamente relacionado ao Classicismo. Porém, foi escrito na medida velha, já que os seus versos foram escritos em redondilhas.

26/5/08 14:53  
Anonymous Kelly disse...

Mas estou confusa... Achei outro poema:

Comigo me desavim

Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo;
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia,
Antes que esta assi crecesse:
Agora já fugiria
De mim , se de mim pudesse.
Que meo espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Pois que trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?

Sá de Miranda

E então? Qual é o "verdadeiro"?

26/5/08 15:55  
Anonymous Anônimo disse...

Eu musiquei essa maravilha de Sá de Miranda!!

13/9/09 00:47  
Blogger WM Ss disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

12/2/17 01:27  

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker