19 maio 2008

A uma dama

Gregório de Matos

Vês esse Sol de luzes coroado?
Em pérolas a Aurora convertida?
Vês a Lua, de estrelas guarnecida?
Vês o Céu, de planetas adornado?

O Céu deixemos: vês naquele prado
A rosa com razão desvanecida?
A açucena por alva presumida?
O cravo por galã lisonjeado?

Deixa o prado: vem cá, minha adorada:
Vês desse mar a esfera cristalina
Em sucessivo aljôfar desatada?

Parece aos olhos ser de prata fina...
Vês tudo isto bem? Pois tudo é nada
À vista do teu rosto, Catarina.

Fonte: Spina, S. 1995. A poesia de Gregório de Matos. SP, Edusp.

1 Comentários:

Blogger Miguel Marques disse...

ola. ja vi que sabes escrever e por isso queria pedir-te a tua opinião à unica poesia que fiz... gostava que me dissesses o k axas-te... porque keria fazer uma coisa com akilo...
responde sff.
Cumps

Ass: Miguel Marques

Meu blog: migmarques.blogspot.com

19/5/08 15:52  

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker