20 julho 2008

O passarinho e o espantalho

Marciano Vasques

Quando se aninha
num coração de palha
um passarinho,
o seu canto se espalha aquecido,
e o espantalho,
com a alma repleta de vôos,
desperta querendo gorjear.

Espigas o saúdam.
Amarelos brincam ao redor
do seu vulto esfarrapado.

Campos acordam em festa
com o orvalho anunciando
que o dia está sorrindo.

Quando o Sol se espreguiça
e o passarinho vai embora,
o espantalho se entristece com o ninho vazio
no peito, mas o dia gorjeia em seu lugar.

Fonte: edição No. 189 (abril de 2007) da revista Ciência Hoje das Crianças. Poema originalmente publicado em 2004.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker